sábado, 23 de junho de 2012

Essa tal vida.

Essa vida é assustadora. Queria saber como viver, como fazer as coisas surgirem e encontrar a felicidade bem alí. A gente passa tanto tempo se preocupando com coisas banais, não é? A gente passa tanto tempo calculando como vai ser usado o nosso tempo e se esse tempo vai ser suficiente para acontecer tudo que desejamos. A gente fica criando situações e inventando romances por aí. Penso muito no meu futuro, penso no marido que ainda não tenho, nos filhos que ainda não foram criados, no emprego dos meus sonhos, no meu casamento, nas minhas amizades, na minha família. Eu queria poder abrir minha cabeça e organizar tudo direitinho, sabe? Colocar em ordem: passado, presente e futuro. Tenho essa mania (bem idiota) de viver o futuro e relembrar o passado constantemente, e o presente? Onde fica? Não sei. Viver o hoje não é muito comigo.

Lembro que quando eu tinha uns 10 anos meu maior sonho era ser médica. Mas aí eu já pensava: "Eu nem gosto de sangue" e percebi que não dava para ser médica. Aí quis ser cantora, mas minha voz era e ainda é muito feia. E fui crescendo. Tive vontade de ser tudo. Médica, Advogada, Cantora, Atriz, Jornalista. E foi preciso muito tempo para perceber que não se pode ser tudo, nós precisamos escolher um caminho e segui-lo. E eu sempre quis ir por todos os caminhos possíveis. Gosto de experimentar caminhos, escolhas, situações. Vivo procurando saber quem sou, como estou, quem vou ser. Você pode até pensar que sou apenas uma adolescente com problemas mentais ou com uma depressão profunda, mas não sou assim. Me acho normal demais.

Quero falar que o tempo passa rápido demais e não nos damos conta. De vez em quando esqueço a idade que tenho, de vez em quando olho as cartas antigas e fico me perguntando se o que foi escrito ainda prevalece, de vez em quando pego fotografias velhas e fico sorrindo, de vez em quando morro de saudades de alguém e choro, de vez em quando quero apenas conversar com alguém que já nem faz parte da minha vida. Queria ter uma máquina do tempo e voltar tudo de novo. Modificar meus erros, modificar as oportunidades perdidas, mudar meu comportamento naquele determinado dia. E eu queria poder resgatar todos os dias inesquecíveis que tive e poder trazê-los para mim, todos os abraços que já foram esquecidos e todos os beijos interrompidos, os ex-amigos e até os ex-amores. 

Essa vida não é assustadora? Faz pouco tempo que eu estava sentada no sofá da minha avó assistindo Chaves e comendo inhame, e minha maior preocupação era com quem eu ia brincar. Tudo passa rápido demais, os desejos antigos evaporam, os amigos antigos somem e tomam rumos diferentes, os nossos pais vão ficando velhos e cansados, os relacionamentos vão virando uma eterna bagunça, o nosso futuro vai tornando-se cada vez mais complicado. A gente tenta e luta para que tudo acabe bem.

4 comentários:

  1. Você é uma menina linda, Rai. :)
    Muito bom te ver crescendo na escrita. Melhor ainda é saber que posso, pelo menos através das palavras, trocar um pouco dos meus sentimentos com você e sentir os teus também.
    Viva, minha querida! Viva o hoje! ^^ Amanhã, ele será o passado que você gosta de lembrar, enquanto um outro futuro não chega.
    Amo muito você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ow meu bem, fico tão feliz quando vejo você comentando e falando o que acha sobre os meus textos. Você escreve muito bem, acho que nós escrevemos com os mais sinceros sentimentos. Isso tá no sangue? hahaha, acho que sim! Pretendo escrever um livro e espero que tudo acabe bem. Que acabe bem para mim e para ti!
      Amo você também.

      Excluir
  2. Não tenho dúvida de que será um grande livro porque vem de uma grande mulher! :)
    Vou querer autógrafo! huahua! ^^ Cheiro (como diz Tia Mere!).

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo blog,simplesmente fantástico o seu post,a sua forma de escrever..
    Adorei o seu cantinho.rs
    Se quiser da uma passadinha no meu:
    http://comamoremaiscaro.blogspot.com.br/

    grande beijo.sz

    ResponderExcluir