domingo, 6 de outubro de 2013

Gosto dele, mas ele gosta dela.

Gosto dele, mas ele gosta dela. Quero ficar com ele, mas ele prefere ficar com ela. Gosto da forma como nos olhamos, mas ele prefere olhar para ela. Gosto da maneira como ele solta sorrisos abobalhados, mas é óbvio que ele prefere o sorriso dela. Sinto saudade dele, mas ele gosta da companhia dela. Não quis aceitar  essa situação, tentei entender o que eu tinha de diferente para que ele preferisse ficar com ela. Achei que o defeito era mim, me perguntei diversas vezes se sou algum bicho de sete cabeças que ninguém quer, ninguém se envolve. Eu quis uma coisa tão simples, quis ele. Mas, ele quis ela. Dá pra entender como isso funciona mais ou menos? Quero uma pessoa que quer outra. Pensei que isso não era possível, entrei em desespero.

Mas, a vida me ensinou bastante e todos os meus relacionamentos frustrantes me ensinaram coisas que ninguém jamais me ensinou. Aos poucos, fui aprendendo que nós só gostamos de quem gosta da gente. Não adianta, não há possibilidade de você gostar de alguém que não sente nada por você. Isso é ilusão ou carência. A verdade é que aprendi que o ser humano necessita de alguém pra ter por perto, necessita de carinho, atenção, cumplicidade, mas não podemos cobrar isso de alguém que já tem outra no coração. A verdade é que não adianta forçar algo que não vai acontecer, não adianta querer ter um relacionamento com alguém que sonha com outra, deseja outra, pensa em outra. E eu sei que nós precisamos tomar o primeiro passo e falar pro nosso coração que quem manda nos nossos sentimentos somos nós mesmos. Só permitimos que alguém entre quando damos abertura.

Continuo gostando dele como se ele fosse meu. Gosto do rosto dele, do beijo que ainda não demos, dos poucos abraços, mas percebi que gostar de mim é mais valioso, que a minha carência não é única. Percebi que só precisamos gostar de alguém que queira ficar com a gente. Ficar em todos os momentos, vivenciar cada pedaço conosco. Sei que ele prefere ela, mas aprendi que eu e ela não somos diferentes, simplesmente não é o meu momento de ter alguém como ele. E vai lá, ele talvez nem seja o cara certo pra mim, talvez ele seja o que meu coração esteja precisando naquele momento só para que ele fique ocupado com alguma pessoa, sabe? Gosto dele, mas ele gosta dela.

4 comentários:

  1. A consciência que você tem da importância do amor próprio pode fazer com que pessoas ainda mais potenciais do que "ele" gostem de você.
    É por essas e outras que a sabedoria conquistada em outros relacionamentos nos salva de erros comuns, ainda que não diminua os sentimentos.

    ResponderExcluir
  2. Belo texto, reflexivo, uma pergunta você está passando por isso? . Porque conseguiu colocar em palavras tão sinceras que me perguntei isso. Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. O seu amor próprio pode não fazer com que ele deixe de gostar dela para começar a olhar para você, mas pode muito bem atrair outras pessoas que irão te querer (e muito) bem. E não só de relacionamentos amorosos, mas sim o afeto como um todo.

    Entendo isso de ''ter o coração ocupado'', mas é bacana que você primeiro o deixe ser ocupado pelo o amor que sente por si mesma. E que entendeu isso ao longo de seus relacionamentos anteriores.
    Continue se amando, Raíssa.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. "continuo gostando dele como se ele fosse meu" mas continuar gostando não nos impede de continuarmos seguindo sem ele. Aprendendo, vivendo e amando a nós mesmas.

    Lindo!

    Beijos

    ResponderExcluir