quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Sensibilidade.

Te olho. Eu juro que não preciso de mais nada, te olhar basta. Será que você me olha da mesma forma que te olho? Te imagino. Será que você me imagina da mesma forma? Te quero. Será que você me quer da mesma forma? E lá vem você dizendo que os sentimentos masculinos são diferentes e que o universo feminino é bem patético ao achar que o romance vive no ar. Tudo bem, eu não tenho culpa de ser tão chorona e sensível ao ponto de chorar com um comercial de manteiga. Ei, eu não tenho culpa de querer sempre fazer tudo certinho e acabar atropelando o meu próprio caminho. Eu compreendo que somos diferentes em tudo, mas temos algum em comum: estamos juntos. Você balança a cabeça e diz que sou extretamente intensa, eu reconheço. Você não gosta muito de abraços, mas eu coloco seus braços dentro dos meus próprios braços, e sinto seu olhar de reprovação, mas lá no fundo eu entendo que é o que você quer de mim. 

Sou a romântica da história, sou a que escreve, chora, faz sua comida, cuida do seu lado emocional, paga suas contas, cheira o seu cabelo e opina sobre as roupas. Você é aquele fortão que não chora, aquele alicerce na hora que quero desabar e aquele que cuida do nosso futuro financeiro. O que custa eu conhecer o seu lado sensível? Não há nada demais em te ouvir chorar, as pessoas realmente choram. Olha, essa coisa toda de bancar o difícil não é comigo, essa coisa toda de dizer que sensibilidade é um defeito não é comigo. Eu sou sensível e choro com muita facilidade sim. O problema é que talvez você sinta vergonha de demonstrar seus sentimentos porque é seu dever mostrar que não existe isso de mostrar ao mundo o que se sente. Mas veja bem, estamos mesmo discutindo sobre isso? Quem vai ganhar essa disputa louca? Me olha dentro dos olhos e diz que estou certa. 

Só me ame. Só respire perto de mim, esteja comigo. Eu não preciso que você cuide do lado operacional da coisa, eu preciso de alguém que chore comigo, de alguém que me acompanhe e que sinta um prazer imenso perto de mim. Tenho sentido medo dos outros ultimamente pela falta de amor que há. Tenho analisado o mundo e tudo isso me assusta. Existe muita falta de amor e sensibilidade, e é por isso que preciso que você se abra mais, não seja assim. Não é necessário que as pessoas sejam tão duras, não é vergonhoso dizer palavras bonitas. Isso é amor. Vem cá, isso mesmo. Deita a sua cabeça no meu ombro direito e chora, conta do que seu coração precisa e eu te acalmarei. Eu te olho, te desejo, te quero. Faça isso comigo, me deixe entrar de vez na sua vida.

2 comentários:

  1. Intenso e lindo, como todos os desejos, vontades e amores de nossa vida.

    ResponderExcluir