quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Esqueci de mim.

Dizem que só escrevo textos tristes. Algumas pessoas afirmam ter chorado milhares de vezes lendo as minhas palavras. Outras pessoas me ligaram no meio da madrugada aos prantos. Hoje faço um texto totalmente pessoal. Tudo que escrevo aqui é sincero. Posso ter criado uma história com personagens que nem existem, mas algum personagem pode ter sido você em alguma fase da sua vida. Escrevo experiências vividas por mim e faço dos erros dos outros os meus acertos. Escrevo porque consigo aliviar a dor que há dentro do meu peito e quando coloco isso em uma folha de papel..o mundo desaba. Gosto de escrever desde pequena, sempre achei lindo demonstrar o que sentimos, mas havia vergonha dentro de mim. Vergonha do que os outros iam achar, mas isso realmente importa? Tenho recebido elogios por onde tenho passado: faculdade, trabalho, redes sociais. Tenho feito amizades com alguns desconhecidos que ficam admirados com a minha capacidade de escrever bem. E tem gente que me pergunta o segredo, mas não há segredo. O que realmente importa é escrever o que sente.

Confesso que não sou muito boa em lidar com a felicidade. Isso não me faz ser uma garota triste, mas gosto de tocar o coração das pessoas e escrevo a realidade. "Ultimamente não tem sido fácil viver". Gosto de usar essa frase. Tenho notado algumas diferenças em mim. Andei ficando mais sensível, andei sentindo a dor dos outros, andei me importanto mais com os outros, esqueci de mim. Esqueci de cuidar de mim, de procurar o amor próprio, de procurar a paz. Dei valor aos outros, dei valor aos que partiram meu coração, dei amor quando não havia motivo para amar, dei confiança e ganhei decepção. Esqueci do que realmente importa, esqueci de Deus. Deixei ele de lado. Esqueci de amar mais os meus familiares e esqueci de planejar. Não esqueci porque sou má, mas algo entrou na minha cabeça e me deixou confusa. Estive procurando alguém para culpar. Tenho andado deslocada, confusa, perdida no tempo. Não tenho passado boa impressão e quero alguém para amar. Alguém para amar. Esqueci até que quero ser amada.
 
Ando tão carente que qualquer sorriso me deixa encantada. Ando tão desnorteada que qualquer caminho serve. Ando tão solitária que meus amigos não conseguem preencher o vazio. Tenho a sensação de que todos estão partindo, sensação ruim. Hoje fiquei parada no meio da chuva observando os carros. De repente chegou aquela vontade de pular na frente de um deles. Eu queria pular para alguém notar. As pessoas passavam por mim e não notavam as lágrimas caindo. Ninguém sabe o que carrego no peito. Ninguém sabe a dor que você carrega. Só você. Se eu pulasse na frente de um carro seria o fim. O fim para mim. As pessoas iam notar, mas a vida delas continuariam a mesma. O que estou querendo dizer com isso? Finalmente achei a culpada de tudo: eu. Nossa vida só pode mudar quando a gente quer. Nossa vida segue o ritmo que damos. Acho que preciso cuidar mais de mim e principalmente do meu coração. Esqueci de esquecer dos outros e pensar nos meus sentimentos. Vai lá, força de vontade é o primeiro passo.
 

4 comentários:

  1. Levo isso sempre comigo, tanto a vontade de me jogar na frente de um carro quanto estar ciente de que a culpada de tudo sou eu. Talvez isso seja uma fase ruim, ou simplesmente nós ainda não aprendemos a lidar com a vida que temos, mas te digo Raíssa, quem só pode mudar é a gente. Faça o que te dá vontade, pague pra ver, busque e deixe sua alma aliviar-se de alguma forma e só assim você encontrará a paz que tanto quer. Se cuida.

    ResponderExcluir
  2. Escrever nos alivia de nós mesmos.
    GK

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do seu espaço!
    Estou lendo e gostando de todas postagens anteriores.
    Que bom que cheguei ate aqui!

    Um grande abraço!
    Camila Gomes
    http://camillacris.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir